A época de festas de final de ano é o momento perfeito para você assistir ao que se chama guilty pleasure, aqueles filmes que você tem vergonha de dizer que gosta, mas não perde a chance de sentar e assistir. O que eu mais leio sobre O Casamento do Meu Melhor Amigo, o filme obrigatório em todas as vésperas de natal aqui em casa, é que ele é o guilty pleasure favorito de todo o mundo. Que coisa boa.

Na verdade O Casamento do Meu Melhor Amigo tem muitos méritos. Ele não é um filme que se destaca por ter uma fotografia exemplar ou uma edição primorosa, mas toda a carga do filme é carregada pelos atores e, nossa, é muito bom assistir Julia Roberts tão boa assim. E ela tá cercada de atores que interpretam personagens divertidos em situações que nunca parecem forçadas (com uma ou outra exceção). É um filme sem preocupações e sem cargas dramáticas, sem subtexto (ou texto algum), e um filme perfeito para ficar sentado esperando aquela droga do Chester ficar pronto.

Tem seus problemas de progressão? Tem. E talvez seja por isso que P.J. Hogan não se tornou um dos nomes poderosos de comédias românticas, que possuem nomes fortes e que produzem filmes bons. O Casamento do Meu Melhor Amigo pode até ser guilty pleasure, mas o prazer de se ver ele está acima da culpa de gostar do filme. Ele tem seus méritos.

  • Prós: ótimos personagens em um filme redondinho;
  • Contras: Dermot Mulroney é um ator ruim pra todo o sempre; o filme perde a chance de ser ainda melhor ao forçar algumas tiradas;
  • Veredicto: não há nada que esbanje talento em O Casamento do Meu Melhor Amigo, mas eu vi tanto filme cheio de subtexto esse ano, que se empluma em fotografias bonitas e truques de edição, que ver só uma câmera rolando com alguns personagens com bons diálogos e cenas divertidas já me valem a revisão. É um pequeno clássico daqueles que ninguém tem coragem de classificar.

O Casamento do Meu Melhor Amigo (My Best Friend’s Wedding, 1997). Estados Unidos. Dirigido por P. J. Hogan; escrito por Ronald Bass; fotografado por László Kovács; editado por Garth Craven, Lisa Spoonhauer; trilha-sonora composta por James Newton Howard; com Julia Roberts, Dermot Mulroney, Cameron Diaz, Rupert Everett, Philip Bosco, M. Emmet Walsh, Rachel Griffiths.

Publicado por Arthur

Eu faço sites e vejo filmes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.