O Conselheiro do Crime (The Counselor, 2013)

O que aconteceu aqui? Sério, que merda é essa?

O Conselheiro do Crime deve ser, provavelmente, com quase toda a certeza, a maior bomba do ano. E, sério, não tem explicação. O roteiro é escrito por Cormac McCarthy, um dos mais importantes e talentosos escritores americanos da atualidade; é dirigido por Ridley Scott, um diretor que, mesmo irregular, é de um talento estético imenso; e um elenco simplesmente fantástico, formado por Michael Fassbender (sempre excelente), Cameron Diaz (surpreendentemente a melhor do filme), Brad Pitt (na atuação excelente que ele vem fazendo de uns filmes pra cá), Javier Bardem e Penélope Cruz. Não tem como explicar o que há de errado em O Conselheiro do Crime.

Ou melhor, há sim: Cormac McCarthy é um excelente romancista, e isso é ineguável. Mas suas histórias só são bem sucedidas no cinema quando o roteiro é escrito por outra pessoa. O clássico Onde os Fracos Não Têm Vez é a maior prova disso. McCarthy é um incrível contador de histórias, mas um roteirista que deixa a desejar. E dá pra notar que é difícil de trabalhar com um roteiro desses. Embora o filme tenha uma linha bacana (quando duas realidades se chocam, o sangue é inevitável), ele não vinga, ele não evolui, e os diálogos que são lindos na prosa saem pobres na fala. Sério, parece que McCarthy tirou diálogos inteiros de filmes do Nolan, de tanto vazio e tanta explicação fajuta.

É uma grande pena. Ridley Scott dá a perfeição visual que a prosa de McCarthy sempre requeriu, mas é o próprio escritor que mata o filme: ao ser tão cheio de alegorias, tão cheio de motifs, tão cheio de significados, O Conselheiro do Crime é simplesmente um filme sobre nada. E um péssimo filme sobre nada.

  • Prós: as atuações de Michael Fassbender, Cameron Diaz e Brad Pitt;
  • Contras: o péssimo roteiro do filme, que tem uma história bacana, mas é executado muito mal.
  • Veredicto: com potencial enorme e uma equipe cheia de famosos, O Conselheiro do Crime tinha tudo pra ser um excelente filme de gângster, mas ele é tão inflado em significados fajutos que acaba matando sua própria ideia por problemas de execução. McCarthy fez um trabalho de amador aqui.

O Conselheiro do Crime (The Counselor, 2013). Estados Unidos, Reino Unido. Dirigido por Ridley Scott; escrito por Cormac McCarthy; fotografado por Dariusz Wolski; editado por Pietro Scalia; trilha-sonora composta por Daniel Pemberton; com Michael Fassbender, Brad Pitt, Natalie Dormer, Penélope Cruz, Cameron Diaz, Javier Bardem.

Anúncios

Autor: Arthur

Eu faço sites e vejo filmes.

Uma consideração sobre “O Conselheiro do Crime (The Counselor, 2013)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.