Vou ser sincero e admitir que, fora O Silêncio dos Inocentes, eu não sou muito fã dos filmes do Hannibal Lecter. Não que sejam filmes ruins, eu só não me ligo muito neles.

Dragão Vermelho é um bom filme de suspense, é de se admitir. Não chega aos pés de O Silêncio dos Inocentes mas ainda é acima da média. Estruturalmente, ele é quase idêntico ao primeiro filme de Hopkins como Lecter: um assassino chamado de “Fada do Dente” está por aí matando aos montes e um detetive do FBI, dessa vez interpretado pelo sempre ótimo Edward Norton, precisa da ajuda de Lecter para entender os padrões do serial killer. O problema: Lecter já tentou matar o detetive uma vez.

O que há de melhor em Dragão Vermelho são suas performances. O trio principal formado por Norton, Hopkins e Ralph Fiennes é impecável. Hopkins é Lecter vivo, enquanto Norton dá uma excelente atuação (meio perturbada, seu tipo preferido), e Fiennes é um vilão “cego” fenomenal. São os pontos fortes do filme, sim. De resto, Dragão Vermelho é um filme que segue bem os padrões do suspense: ele evita ao máximo grandes reviravoltas, e explora o suspense nos tipos de seus personagens (o suspense estava nos olhares em O Silêncio dos Inocentes, e aqui isso se mantém). Brett Ratner não é um diretor tão seguro e sucinto quanto Jonathan Demme, o que causa alguns excessos que o suspense não se permite. Estão bem mais sutis que os de X-Men: O Confronto Final, porém, o que prova sua qualidade.

  • Prós: não é nada do caralho, mas Dragão Vermelho é um filme de suspense acima da média graças aos seus excelentes atores e personagens que realmente fazem toda a diferença.
  • Contras: o maior problema de Dragão Vermelho é que ele é um “sucessor” de O Silêncio dos Inocentes, um filme imbatível.
  • Veredicto: por mais que tente, Dragão Vermelho não faz mais que o seu tema de casa para um filme de suspense. É, na minha opinião, um filme superestimado.

Dragão Vermelho (Red Dragon, 2002). Alemanha, Estados Unidos. Dirigido por Brett Ratner; escrito por Ted Tally; fotografado por Dante Spinotti; editado por Mark Helfrich; trilha-sonora composta por Danny Elfman; com Anthony Hopkins, Edward Norton, Ralph Fiennes, Emily Watson, Harvey Keitel, Mary-Louise Parker, Philip Seymour Hoffman.

Publicado por Arthur

Eu faço sites e vejo filmes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.