O filme de debate tem várias variações. Desde o clássico debate de 12 Homens e Uma Sentença (um dos meus favoritos), até o íntimo e cortante diálogo em Antes da Meia-Noite (com certeza o meu favorito), os personagens desses filmes se confrontam sem armas, apenas com seus conhecimentos da situação em questão, das fraquezas pessoais do oponente e de suas experiências passadas. O bom filme de diálogo é poderoso pela sua economia e sua precisão, sabendo que o cinema é uma arte de movimento, transformar linhas e linhas de palavras em algo cinemático é complicado, mas os resultados corretos nunca deixam de ser eternos.

Talvez o grande acerto de Frost/Nixon seja perceber isso e, nos momentos de debate (o filme é um backstory de uma entrevista real), escurecer o fundo e se concentrar em filmar tanto Frost quanto Nixon se combatendo em uma entrevista onde só um poderia sair vencedor. O diálogo político do filme está longe de ser um trunfo, mas o modo que os atores dão impacto em cada réplica é no mínimo à altura.

O resto do filme, porém, não fica nesse nível. Eu não sou um fã de Ron Howard, então todos os trejeitos rítmicos dele aqui me irritam. Ao sair dos confrontos da entrevista e exibir o financiamento e as crises pessoais de Frost, o filme perde um tanto de força. Não é pra menos, os diálogos de Frost/Nixon moldam personagens de um modo muito mais eficiente que os planos de Howard. Não é um problema de direção, é uma perfeição de roteiro.

  • Prós: a sábia e precisa direção de Ron Howard nas cenas da entrevista entre Frost e Nixon; as atuações de Michael Sheen e Frank Langella;
  • Contras: o filme perde bastante força ao sair das entrevistas;
  • Veredicto: com debates excelentes mas uma progressão que deixa um tanto a desejar, Frost/Nixon não se iguala aos clássicos do filme de diálogo — mas também não fica muito atrás, graças às poderosas interpretações dos seus combatentes.

Frost/Nixon (2008). Reino Unido, França, Estados Unidos. Dirigido por Ron Howard; escrito por Peter Morgan; fotografado por Salvatore Totino; editado por Daniel P. Hanley, Mike Hill; trilha-sonora composta por Hans Zimmer; com Michael Sheen, Frank Langella, Sam Rockwell, Kevin Bacon, Matthew Macfadyen, Rebecca Hall, Oliver Platt, Toby Jones.

Publicado por Arthur

Eu faço sites e vejo filmes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.