Tem muito filme “transgressor” por aí, que exibe o que as pessoas não suportam ver. O maior exemplo desse tipo de cinema, Salò Ou Os 120 Dias de Sodoma, é um clássico absoluto do cinema extremo. É uma pena, porém, que ele tenha sido comparado com A Serbian Film — Terror Sem Limites.

No filme sérvio, um ator pornô aposentado volta a ativa quando um diretor pretende criar o filme pornô definitivo, que se elevaria ao patamar dos “filmes de arte”. Então, o tal ator começa a ver que as cenas de sexo envolvem espancamentos, “pessoas jovens demais”, até que ele percebe o que está acontecendo ali.

Óbvio, A Serbian Film tem de tudo: necrofilia, sexo com um bebê recém-nascido, mortes bizarras envolvendo qualquer genitália possível, anal, anal, anal. O cinema extremo já foi muito utilizado como um meio (vá lá) extremo para transmitir alguma mensagem. Salò é uma crítica ferrenha à Itália, afinal. E talvez até houvesse aqui uma crítica, algo a que questionar ou exibir. Mas lá pela terceira cena de estupro que envolve um machado e uma mulher sem cabeça, viagra de touro e cenários que lembram O AlbergueA Serbian Film perde força. Perde mesmo, o que é inexplicável para um filme extremo. Sem uma cola, sem algo que realmente cause impacto, as imagens perturbadoras desse filme tornam-se quase banais. É uma violência atrás da outra, sem qualquer criatividade ou importância, que até Quentin Tarantino urraria pela má utilização da crueldade.

Faça um favor, não veja.

  • Prós: sei lá. Não achei.
  • Contras: tudo bem ser um filme com cenas de extrema violência ou sexo explícito, eu já vi zilhões de filmes que exploram isso. O problema é quando tudo é tão gratuito, tão sem importância, que elas não tem impacto nenhum. É como ver uma propaganda da Colgate.
  • Veredicto: eu não tenho problema algum em assistir filmes extremos — nada chega perto de Salò, pra mim. Mas é justamente o contrário que esse A Serbian Film alcança: ao usar a violência para banalizar, ele mesmo perde credibilidade no seu uso. É um filme pra poucos? Quase. É um filme pra ninguém. Ninguém conseguiria gostar.

A Serbian Film — Terror Sem Limites (Srpski Film, 2009). Sérvia. Dirigido por Srdjan Spasojevic; escrito por Srdjan Spasojevic, Aleksandar Radivojevic; fotografado por Nemanja Jovanov; editado por Darko Simic; trilha-sonora composta por Sky Wikluh; com Sergej Trifunović, Srdjan Todorović, Katarina Zutic, Ana Sakic, Lena Bogdanovic.

Publicado por Arthur

Eu faço sites e vejo filmes.

Se junte à conversa

1 comentário

  1. Acabei de assistir,e nooossa pra quem gosta de coisas muuito bizarrabta ai um filme a assistir.. Desnecessária a cena do recém nascido vai saber o que despertará em mentes sádicas, já em mim estou pasma sobre o que se passava na mente de quem teve a ideia do filme 😱

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.