Círculo de Fogo é quase como Piratas do Caribe: O Baú da Morte em um universo à Transformers. É um encontro de estórias e referências diversas (aqui, claramente inspiradas no cinema-desastre japonês) em um resultado um tanto caótico. Também como o filme de piratas, Círculo de Fogo é de uma criatividade sem tamanho.

Esse é o melhor ponto de um ótimo filme de ação. Círculo de Fogo tem toda a riqueza estética e criatividade de Guillermo del Toro, que por si só é um excelente diretor. Em todos os seus filmes, sejam as investidas comerciais como este ou Hellboy, ou suas obras autorais como O Labirinto do Fauno, possuem um universo todo próprio. Se em seus filmes artísticos a beleza estética serve também como narrativa, aqui del Toro simplifica histórias e cria um cinemão como se deve: cria um ou dois princípios e, a partir deles, segue todo o filme.

Isso funciona tão bem que Círculo de Fogo, um filme que desde o início precisa que você desacredite em qualquer princípio científico, só depende dos seus dois personagens principais. Você não precisa se preocupar com os outros que aparecem e somem durante o filme, porque o que você realmente quer ver, e que del Toro tem o maior prazer de mostrar, é o confronto das enormes criaturas com os gigantescos robôs. O cinema japonês não poderia ter sido melhor homenageado.

  • Prós: Filme desastre dos bons, Círculo de Fogo é tão simples e tão funcional, tão belo e tão despreocupado, que é uma diversão pura.
  • Contras: duas horas?!
  • Veredicto: belíssimo, simplíssimo, divertidíssimo, Círculo de Fogo arrasa os outros blockbusters desse ano fazendo o que realmente precisa fazer: divertir. Ele mostra o que queremos ver em um filme desses, com boas atuações e a fascinante beleza que só del Toro sabe prover.

Círculo de Fogo (Pacific Rim, 2013). Estados Unidos. Dirigido por Guillermo del Toro; escrito por Travis Beachum; fotografado por Guillermo Navarro; editado por Peter Amudson; trilha-sonora composta por Ramin Djawadi; com Charlie Hunnam, Rinko Kikuchi, Idris Elba, Charlie Day, Clifton Collins Jr.

Publicado por Arthur

Eu faço sites e vejo filmes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.