A Caça (Jagten, 2012)

Thomas Vinterberg sofre daquele mal de filme de estréia, que é tão bom que toda a sua carreira fica sendo comparada com o acerto inicial. Assim como Sam Mendes e seu sensacional Beleza Americana, Vinterberg é amaldiçoado pelo fantasma de Festa em Família, o excelente pé-direito do Dogma 95, movimento do cinema dinamarquês para revitalizar a maneira que o cinema é feito.

Eu discordo em parte. Se o diretor escandinavo sempre ficou à sombra de seu primeiro filme e do mais influente diretor do seu país (ninguém menos que Lars Von Trier) por anos, eu defendo que desde 2010 ele se sobressaiu com Submarino. E agora ele voltou a se superar com A Caça, facilmente um dos melhores filmes que eu já vi nesse ano.

A Caça apresenta tudo aquilo pelo que Vinterberg é conhecido. A tensão contínua, a desgraça de seus personagens, os problemas familiares. Mas aqui ele finalmente parece amadurecer e tirar de suas costas o Dogma e ignorá-lo completamente. São poucas as cenas em luz natural e câmera de mão e a trilha-sonora, mesmo que não seja onipresente, aponta aqui e ali acentuando o clima já pesado do filme. Tudo isso é fichinha, porém, para o excelente argumento que Vinterberg orquestra aqui com muito sucesso.

No filme, Lukas é um professor de um jardim de infância que causa confusão na cabeça de uma pequena aluna, que o acusa de mostrar seu pênis pra ela. Vinterberg poderia cair na cilada de pesar o filme contra o professor e julgar moralmente a todos, como qualquer outro diretor faria.

Mas aqui, em mais uma demonstração de sua maturidade, Vinterberg analisa toda a situação com o máximo de sensibilidade, quase distante, de como os vizinhos, os amigos e os colegas de Lukas vão caçá-lo, mesmo se o problema se resolver. Como a mão de Nick em Submarino, a caça por Lukas é uma ferida permanente e, em ambos os filmes, Vinterberg ensaia com maestria a reação desses homens endurecidos pela sua sociedade a aguentar o insuportável.

  • Prós: tudo. A Caça é um filme sensível, frio e tenso sobre um assunto delicado. Vinterberg criou uma obra de qualidade inquestionável.
  • Contras: absolutamente nenhum.
  • Veredicto: A Caça é um dos melhores filmes que tive o prazer de assistir esse ano. Com atuações fortes e um roteiro impecável, Vinterberg faz sua melhor obra e um dos melhores filmes dinamarqueses dos últimos anos.

A Caça (Jagten, 2012). Dinamarca. Escrito e dirigido por Thomas Vinterberg; fotografado por Charlotte Bruus Christensen; editado por Janus Billeskov Jansen, Anne Østerud; com Mads Mikkelsen, Thomas Bo Larsen, Annika Wedderkopp, Lasse Fogelstrøm, Susse Wold, Anne Louise Hassing, Alexandra Rapaport, Lars Ranthe.

Anúncios

Autor: Arthur

Eu faço sites e vejo filmes.

Uma consideração sobre “A Caça (Jagten, 2012)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.