O Som Ao Redor (2012)

Cena de O Som Ao Redor (2012)

Eu gosto do cinema nacional. Eu não vejo tanto, mas sempre procuro assistir ao máximo de filmes brasileiros possível. Na minha lista de filmes favoritos está Abril Despedaçado, Lavoura Arcaica, Central do Brasil, Cidade de Deus, Eu Receberia as Piores Notícias de Seus Lindos Lábios e, agora, O Som Ao Redor.

O Som Ao Redor é a revitalização do cinema nacional, pra mim. Ele é moderno, é bonito e é intenso. Cheio de significados e não cheio de simbolismos. É cinema pequeno mas é cinema bem feito, bem editado, bem produzido. Cinema “Classe A”. E, ainda por cima, dá aquela dedada na ferida.

O filme fala de uma vizinhança no Recife. Até aí tudo bem, tem uma penca de filmes que tratam sobre a vida em “civilização”, mas o diretor tem uma sacada incrível de relacionar essa vizinhança, que é igual a muitas por aí, com o colonialismo (quem aí tá fazendo revisão de História pro ENEM ou vestibular vai adorar a brincadeira). A ideia é tão boa, mas tão boa, que parece enriquecer todo o roteiro do filme, deixando ele impressionante.

O Som Ao Redor não é só bom tecnicamente. É bom por inteiro. É filme feito com paixão pelo cinema do início ao fim. E como é difícil ver um diretor que ama o cinema assim. Um filme apaixonado. De um diretor pela sua arte.

  • Prós: a direção, as interpretações, a edição, a mixagem… O Som Ao Redor até parece um filme do Fincher, com tanta habilidade;
  • Contras: nenhum.
  • Veredicto: Cinema nacional na melhor forma, O Som Ao Redor é um dos melhores filmes que eu vi por enquanto no ano. Uma excelente surpresa.

P.S.: Eu vi O Som Ao Redor, pela primeira vez, na Cinemateca Paulo Amorim, aqui no Mario Quintana; mas ganhei uma cópia do filme pela equipe de produção. Valeu aí Cinemascópio.

O Som Ao Redor (2012). Brasil. Escrito e dirigido por Kleber Mendonça Filho; fotografado por Pedro Sotero, Fabrício Tadeu; editado por Kleber Mendonça Filho, João Maria; trilha-sonora por DJ Dolores; com Irandhir Santos, Gustavo Jahn, Maeve Jinkings, W.J. Solha, Irma Brown, Lula Terra, Yuri Holanda, Clebia Souza, Albert Tenorio.

Anúncios

Autor: Arthur

Eu faço sites e vejo filmes.

2 comentários em “O Som Ao Redor (2012)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.