Eu sou uma das três pessoas que gostam de Tudo Acontece em Elizabethtown, o mais estranho filme do diretor Cameron Crowe.

Claro, Elizabethtown não é nenhuma obra prima. É até mesmo um filme um tanto chato. Mas eu vi algo mais do que a história de um fracassado que encontra uma jovem blasé e, com ela, enfrenta seu fiasco e vê um lado positivo em tudo o que está de errado no mundo. Para mim, Cameron Crowe está comentando o próprio mundo de hoje.

Afinal de contas, o que é a nossa sociedade senão um grande fiasco? Não uma falha. Um fiasco mesmo, com toda a força que a palavra tem. O personagem principal do filme é mais um dos fracassados que não conseguiu ajudar o capital de sua companhia a girar, em um prejuízo de muitos milhões de dólares. Afinal, aí estamos nós. Produzindo dinheiro sem nem sabermos o porquê. É exatamente aí que entra a personagem de Kirsten Dunst, a mais adorável que ela já interpretou. A jovem que parece não se preocupar com isso. Que se dane o fiasco, que se dane o dinheiro. De que adianta se o que realmente vale no mundo é pegar seu carro, colocar um bom CD e escutá-lo, fazendo o  caminho de volta para casa? Se para a personagem o que vale de sua vida é a jornada, o que vale do mundo é a paisagem, e não o protagonista.

É o acaso que abraça o personagem de Orlando Bloom em Tudo Acontece em Elizabethtown. O doce e inatingível acaso, o mesmo que o escolheu para protagonizar uma vergonha centenária e a carregar as cinzas de seu pai pelo interior dos EUA. Para Cameron Crowe, o mundo está tão fudido, e a sociedade está tão perdida, que todos precisam de um abraço. E é com Elizabethtown que ele abraça, com força, tudo isso. Sem perder o momento do último olhar.

  • Prós: Susan Sarandon e Kirsten Dunst, ambas maravilhosas em um filme de trilha-sonora impecável.
  • Contras: Orlando Bloom poderia ser trocado por uma penca de atores melhores.
  • Veredicto: Cameron Crowe dá ao filme um tom pessimista e trágico, mas ainda assim esperançoso. Se o mundo está completamente desvirtuado, surge no olhar e no aperto entre os seus personagens um pouco do alívio de que ainda estamos vivos, afinal. E é isso que importa.

Tudo Acontece em Elizabethtown (Elizabethtown, 2005). Escrito e dirigido por Cameron Crowe; fotografado por John Toll; editado por David Moritz; com Orlando Bloom, Kirsten Dunst, Susan Sarandon, Alec Baldwin, Judy Greer.

 

Publicado por Arthur

Eu faço sites e vejo filmes.

Se junte à conversa

2 comentários

  1. Eu conheço, pelo menos, mais duas pessoas que adoraram esse filme (além de mim!), então acredito que existem muitos “triângulos” por ai…rs.

    Adorei o seu projeto!!! Acabei de conhecer, por causa de uma coluna que comecei em fevereiro, “Sem Spoilers” (http://sobre0nada.wordpress.com/2014/03/01/sem-spoilers-filmes-de-fevereiro/), mas sem a pretensão de ver um filme por dia, apenas fazendo um pequeno resumo do que vi ao final de cada mês. Mas já senti que aqui vou encontrar muuuuitas dicas! Parabéns!
    =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.