WALL•E (2008)

Cena de WALL•E (2008)

Eu fiquei pensando, depois de assistir Ratatouille, que a Pixar tinha atingido seu auge. O mais criativo estúdio de cinema americano tinha finalmente encontrado a obra de sua vida e não poderia ficar melhor do que aquilo. Um ano depois ela se superou.

WALL•E é o tipo de animação que os EUA não produzem, ao menos não em grande escala. Ao mesmo tempo que é uma autocrítica às condições de nossa vida, é uma história de amor. Usa de um tema universal para criar uma aventura cinematográfica linda e envolvente. É o cinema trabalhando do seu melhor jeito.

Afinal de contas, histórias de amor são o que há de mais abundante no cinema. Desde os primórdios do cinema podemos conferir produções assim. O que WALL•E faz é representá-la da forma mais simples e pura possível. O robô que dá título ao filme se apaixona pela moderna EVA. Ele se apaixona pelos olhos, e o ato de se apaixonar se dá ao se juntar as mãos. Mais simples que isso, impossível.

WALL•E conquista nessa simplicidade de contar a história, ao mesmo tempo que a faz muito bem. Por trás da lição ecológica e da pseudo-análise ao consumismo, WALL•E é um romance pleno entre figuras opostas — o velho e o novo. É o novo método de animação encontrando o cinema antigo, que usava uma base para criar suas histórias. WALL•E é cinema de arte para crianças, e uma verdadeira aula sobre filme.

  • Prós: os visuais impecáveis da Pixar; WALL•E é um dos personagens mais apaixonantes já criados; o uso do mote, o amor, é feito de forma simples e verdadeira.
  • Contras: o filme parece precisar pregar uma lição, então o segundo ato acaba ficando mais chato que o primeiro.
  • Veredicto: um filme em plena forma, WALL•E será eternizado junto aos clássicos do cinema que o inspiram: Chaplin, 2001, Alô Dolly… é cinema animado, e não de animação.

WALL•E (2008). Estados Unidos. Dirigido por Andrew Stanton; escrito por Andrew Stanton, Pete Docter, Jim Reardon; animado por Alan Barillaro, Steven Clay Hunter; editado por Stephen Schaffer; sons criados por Ben Burtt; trilha-sonora composta por Thomas Newman; com vozes de Ben Burtt, Elissa Knight, Sigourney Weaver, Fred Willard.

Anúncios

Autor: Arthur

Eu faço sites e vejo filmes.

5 comentários em “WALL•E (2008)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.